Planejamento, execução, liderança e tomada de decisão: lições do filme Alice no País das Maravilhas


Alice no País das Maravilhas é um clássico da Disney, em que uma menininha interage com seres e animais antropomórficos, vivenciando coisas impossíveis e realizando grandes descobertas. Esse é mais um filme em que é possível se tirar grandes lições para aplicar nas nossas organizações.


Alice no País das Maravilhas é uma animação da Disney, lançada em 1951, que conta a história de Alice que, depois de seguir um misterioso coelho, embarca em uma aventura fantástica em um mundo mágico, repleto de figuras inusitadas. Tentando se encontrar no País das Maravilhas, ela acaba conhecendo personagens esquisitos, se metendo em grandes confusões.

No ano de 2010 a Disney lançou a versão live action de Alice, dirigida pelo cineasta Tim Burton.

Assistindo a esse clássico da Disney, não conseguimos deixar de fazer analogias com os ambientes corporativos. Algumas falas desse filme nos fazem refletir e trazem um bom aprendizado que pode ser aplicado em nossas organizações. Veja algumas delas:


1) “A única forma de alcançar o impossível é acreditar que é possível”


Esta é uma das primeiras falas do filme, dita pelo pai de Alice. Nos faz pensar sobre quantas vezes já ouvimos: “isso não dá pra fazer” ou “não tem como conseguirmos entregar isso” e, que tal o famoso “aqui nós não fazemos as coisas assim”? E o clássico “já tentamos isso antes e não deu”?

Às vezes parece que, por mais que a gente se esforce, acaba sempre ouvindo essas frases da equipe, dos pares e, em algumas situações, até de si mesmo. Pois bem, isso não acontece só com você. Precisamos ser relembrados frequentemente das nossas forças e do que somos capazes de fazer se não nos impusermos limites.

No filme isso é bem exemplificado quando o Chapeleiro Maluco precisa relembrar Alice de que “isso só é impossível se você acreditar que é” e então ele a orienta a focar no desafio que tem que superar.

Portanto, para garantir a execução, acredite no seu trabalho e no da equipe, e continue relembrando que tudo é possível desde que o foco seja fazer acontecer.


2) Cortem as Cabeças


Essa frase é bastante conhecida, não é mesmo? Ela é gritada pela Rainha de Copas várias vezes, sempre que ela se sentia contrariada ou quando a suas vontades não eram atendidas. Nos faz pensar em quantas vezes já vimos gestores “cortando as cabeças” apenas por ter tido alguma ideia confrontada ou ter recebido um feedback que não o agradou?

A Rainha de Copas é a representação quase perfeita das gestões autoritárias. Apresenta uma forma de liderança destrutiva, exigindo que todos satisfaçam as suas vontades, ilustrando a tirania e o abuso de poder. Estilos autoritários e destrutivos de liderança adoecem pessoas e organizações. Por isso destacamos este como um bom exemplo do que não fazer.


3) “Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”


Mesmo que não tenha assistido o filme, você já deve ter ouvido que para quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve. O problema disso é que quando chegar ao destino, pode não ser o que se espera.

Como líderes, é preciso saber exatamente o objetivo que as organizações desejam atingir para, assim, poder conduzir as equipes pelo melhor caminho.

Por isso, antes de seguir qualquer caminho, a chave é o planejamento. Tenha clareza do destino e, então, escolha como chegar lá. Outra etapa importante é eleger quem vai estar ao seu lado durante a jornada. Conhecer os pontos fortes da sua equipe e de seus pares pode ajudar a fazer a escolha certa.


4) “Não pode viver a vida para agradar os outros. A escolha tem que ser sua”

A Rainha Branca, na intenção de preparar Alice para o grande desafio com o dragão, diz que Alice é quem deve fazer as suas escolhas, sem estar na dependência de agradar aos outros. Essa fala é bastante simbólica e muito real para o ambiente corporativo. Nos faz lembrar de um grande desafio para líderes: dar autonomia e liberdade aos liderados.

Um líder precisa confiar na sua equipe e deixar as pessoas à vontade para fazerem escolhas e enfrentarem as suas próprias batalhas. Assim, uma vez que você preparar as pessoas, dê a liberdade que elas precisam para se desenvolver. Mas esteja sempre por perto, permanecendo disponível caso alguém precise de seu apoio em algum momento.


5) “Não posso voltar para o ontem porque lá eu era outra pessoa”


Heráclito dizia que “nada é permanente, exceto a mudança”. De fato, o mundo muda constantemente e, com ele, as empresas e as pessoas também mudam.

Não é possível voltarmos para o ontem. Adquirimos experiências que nos fizeram mudar e carregamos essas experiências, que continuarão a moldar as pessoas e as organizações. Com isso é preciso olhar para o futuro. Corrigir a rota, caso ela não esteja alinhada com o desejado, e seguir aprendendo e se desenvolvendo.

Que empresa que você conhece que continua exatamente igual como quando foi fundada? Muito provável que nenhuma. Nem aquela que começou ontem continua exatamente igual hoje.

A mudança é inevitável, necessária e vital para qualquer organização.


6) “Algumas vezes eu acredito em 6 coisas impossíveis antes de tomar café”


Esta fala de Alice nos lembra que depende de cada um de nós começar bem o dia, treinando o olhar para enxergar as oportunidades e trabalhando a flexibilidade para se abrir para o novo.

Se você revisar as 6 falas que trabalhamos, verá que todas mostram a importância das decisões que tomamos. Então, aqui vão as principais lições que aprendemos com o filme e que esperamos que você leve para sua vida também:



- Decida fazer acontecer.

- Decida enfrentar os desafios.

- Decida ser a sua melhor versão a cada dia.

- Decida impactar positivamente as pessoas à sua volta.

- Decida acreditar que é possível.



O que achou das lições de Alice no País das Maravilhas? Caso tenha alguma sugestão de filme, deixe aqui nos comentários.




127 visualizações2 comentários

Solicite uma visita:

(48) 99915-5660

(48) 98407-8407

Conteúdo Registrado | Todos os Direitos Reservados | Cópia Proibida

© 2023 by Oliver Blush. Proudly created with Wix.com